segunda-feira, 29 de outubro de 2012

TICIANA VILLAS-BOAS CASOU NO RELIGIOSO


Depois de se casar no civil, a belíssima jornalista da TV Bandeirantes, a baiana Ticiana Villas-Boas, reforçou seu estado civil de casada com a cerimônia nupcial numa igreja em São Paulo.

E mais: seu marido economista agora também é empresário, o que sugere que, no Brasil, o SEBRAE é o "santo casamenteiro" dos homens brasileiros.

Claro, se fulano é empresário, profissional liberal ou executivo, pode escolher a mulher com quem namorar, noivar ou casar no Brasil.

Mas se fulano é servidor público, por exemplo, isso, no "mercado" da vida amorosa, é o mesmo que ser "pé rapado". Se for zineiro, blogueiro, ou exerce qualquer função mais modesta - para não dizer a de um contínuo, por exemplo - , o status também não é lá dos melhores.

Pior é que no Brasil as que sobram como solteiras, na maioria das vezes, são mulheres vulgares, quando apresentam alguma beleza, ou mulheres meramente cafonas, quando são "pobres mortais". E se o rapagão "mais simples", mesmo com uma personalidade diferenciada, sofrer a pressão não só de amigos, mas também de internautas nas redes sociais, a coisa piora mais ainda.

Isso porque, num país machista como o Brasil, ainda muito conservador e provinciano, um homem não pode recusar a mulher indicada pelos outros homens. A insegurança dos machistas é tal que eles precisam ver um outro homem aceitando uma mulher apreciada pelo grupo, e esse homem precisa aceitar essa mulher, mesmo que não goste dela, para agradar a vontade dos outros, sob pena de sofrer bullying.

É terrível, porque o que um homem mais diferenciado vai fazer com uma Nicole Bahls da vida? Compare o comportamento da ex-paniquete com o da jornalista da Band para ver a diferença. A ex-paniquete cometeu gafes e declarações totalmente indiscretas sobre traições amorosas.

E olha que se fala de uma musa que o público bronco define como "sofisticada", que é a Nicole Bahls, que teve fotos publicadas até no portal Egotastic etc. Imagine se compararmos também com as "modestas" Geisy Arruda e Maíra Cardi? Se com Nicole Bahls a casa vai logo abaixo, imagine com as outras.

Quem é que quer namorar uma mulher que acha "legal" mostrar o controle remoto de um vaso sanitário? Ou uma mulher que só fica se "mostrando demais" em qualquer ocasião? Isso não é questão de ciúme, mas uma questão de respeito com o corpo que as "boazudas" não têm, sendo mais uma questão de exibicionismo barato, de falta de auto-estima mesmo.

Um homem legal, no Brasil, é condenado a namorar apenas moças nada legais, que vão aos piores eventos musicais - ver ídolos do breganejo, axé-music e sambrega, para não dizer forró-brega e "funk carioca" - ou a tolerar o exibicionismo pseudo-sensual de certas moças. Isso quando elas não falam bobagens nas conversas entre os amigos.

Sim, um homem que deseja ter uma mulher para trocar ideias, viver uma vida a dois, construir um lar e uma vida de trabalho não pode ter a mulher que deseja. Mas é "aconselhado" pela sociedade machista e seus troleiros "donos da verdade" a pegar qualquer uma que surge no caminho, só porque os outros adoram ou porque o status quo diz que elas "estão em alta".

Afinidade pessoal não conta. Não conta qualquer missão na vida. A fauna machista, troglodita e troleira, no entanto, não quer saber, e seu "machismo uia" (eles respondem "uia!" quando são acusados de machismo), para eles, é que tem que prevalecer, e quem não for empresário, profissional liberal ou executivo que pegue a primeira mulher vazia ou vulgar que aparecer no caminho.

No entanto, os homens de bem não se intimidam com essa ameaça de bullying da "galera" que ainda vive nos tempos da pedra lascada e preferem ficar sozinhos. Se mulheres como Ticiana Villas-Boas estão casadíssimas, não serão as Maíra Cardi, Nicole Bahls e Geisy Arruda que trarão alguma compensação. Pelo contrário, elas representam prejuízo na certa. Melhor seguir o ditado "antes só que mal acompanhado".

Nenhum comentário: